• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Caixa abre mais um PDV e atendimento pode ser comprometido, alerta Fenae

“A falta de trabalhadores agrava não só a jornada diária dos bancários como também pode comprometer a qualidade da assistência à sociedade”, diz presidente da Fenae 

Publicado: 10 Novembro, 2020 - 11h00 | Última modificação: 10 Novembro, 2020 - 11h48

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

 

A Caixa abriu um novo Programa de Desligamento Voluntário (PDV), que deve ter a adesão de mais de 7.200 bancários. A informação foi confirmada pelo banco nesta segunda-feira (09).

De acordo com o comunicado da Caixa, o período para adesão ao programa vai até 20 de novembro, quem aderir será desligado ainda neste ano, entre 23 de novembro e 31 de dezembro, e terá direito a incentivo financeiro equivalente a 9,5 salários.

O PDV pode prejudicar o atendimento ao público, já que o banco é o principal veículo do governo federal para pagamento do auxílio emergencial e de outros benefícios sociais, alertou o presidente da Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae), Sérgio Takemoto.

"A falta de trabalhadores agrava não só a jornada diária dos bancários como também pode comprometer a qualidade da assistência à sociedade", afirmou Takemoto, ressaltando que a Caixa segue demitindo sem repor e o déficit de trabalhadores chega a 17 mil – o quadro de pessoal da Caixa é de 84 mil funcionários atualmente, contra 101 mil, em 2014, antes do golpe.

“Nessa pandemia vimos a importância da Caixa. Os empregados fizeram um grande trabalho e mostraram que a Caixa é imprescindível.  Mas os trabalhadores estão cansados, a jornada está exaustiva e a falta de trabalhadores também agrava a situação”, disse Takemoto.

A Caixa é a principal operadora e financiadora de políticas públicas sociais, além de geradora de emprego, renda e desenvolvimento para o país. Além das agências, lotéricas e correspondentes bancários espalhados por todo o país, a Caixa chega à população de locais remotos por meio de unidades-caminhão e agências-barco.

A estatal oferece as menores taxas para a compra da casa própria e facilita o acesso a benefícios diversos para os trabalhadores, taxas acessíveis às parcelas mais carentes da população e recursos para o Financiamento Estudantil (Fies), entre outros.

Cerca de 70% do crédito habitacional é feito pela Caixa Econômica e 90% dos financiamentos para pessoas de baixa renda estão na Caixa. Além de moradias populares — como as do programa Minha Casa Minha Vida — o banco público também investe na agricultura familiar e nas micro e pequenas empresas..

Público-alvo do PDV

O PDV pretende atrair trabalhadores que atendam aos requisitos do programa (leia abaixo) e que já se planejaram para a aposentadoria ou desligamento. Ficaram de fora os trabalhadores que se aposentaram entre 13 de novembro de 2019 e 5 de novembro de 2020 e aqueles com 75 anos ou mais.

Para a coordenadora da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa), Fabiana Uehara Proscholdt, os maiores de 75 anos não deveriam ser excluídos do Programa. “Entendemos que eles não poderiam ser excluídos uma vez que não tem uma lei complementar que trate especificamente sobre o assunto”, afirmou.

Para aderir, é preciso atender ao menos uma das condições do PDV. Veja abaixo:

- Os empregados que se aposentaram antes de 13 de novembro de 2019 (data em que entrou em vigor a Emenda Constitucional 103/2019, da Reforma da Previdência, que prevê a extinção do vínculo empregatício de empregados de empresas públicas que se aposentarem a partir da vigência da Emenda);

- Os empregados que recebem adicional de incorporação;

- Os empregados aptos a se aposentar até 31 de dezembro de 2020, que solicitem a aposentadoria ao INSS após 6 de novembro de 2020.

- Ter 15 anos ou mais de efetivo exercício na Caixa.

Saúde Caixa

Os empregados que aderirem ao PDV, poderão manter o Saúde Caixa. Mas também é preciso cumprir alguns requisitos.

O Saúde Caixa será mantido por prazo indeterminado para os empregados que:

- Empregados que se aposentaram durante o vínculo empregatício com a Caixa, até 13 de novembro de 2019;

- Empregados que entraram na condição de aposentado e possuíam, na data do desligamento, 120 meses ou mais de contribuição ao plano;

- Empregados que se aposentarem após o PDV – 6 de novembro – e com data de início anterior à data da rescisão do contrato de trabalho com a Caixa. Neste caso, a Carta de Concessão deve ser apresentada até 31 de agosto de 2022.

Para os outros empregados da Caixa que não fazem parte dos grupos citados acima, o Saúde Caixa será mantido por 24 meses.

Com informações do Congresso em Foco e site da Fenae.