• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil tem 46.510 mortes por Covid-19 e se aproxima de 1 milhão de casos da doença

País só fica atrás dos Estados Unidos em números de óbitos e casos confirmados

Publicado: 18 Junho, 2020 - 11h24 | Última modificação: 18 Junho, 2020 - 12h22

Escrito por: Redação CUT

Reprodução
notice

Próximo de atingir um milhão de casos confirmados do novo coronavírus, o Brasil acumula mais de dez vezes o total de mortes ocorridas na China (4.638) primeiro país a registrar mortes provocadas pela Covid-19. As consequências da doença já provocaram as mortes de 46.510 brasileiros, 1269 só nas últimas 24 horas, segundo o Ministério da Saúde.

Com 32.188 pessoas infectadas pelo vírus em um dia, o país tem 955.377 casos confirmados de Covid-19. O número é maior do que todas as confirmações dos outros países da América Latina e, caso mantenha a média de 25 mil registros diários de casos dos últimos seis dias, o país passará a marca de um milhão de infectados nesta sexta-feira (19).

De acordo com o levantamento da Universidade Johns Hopkins, o Brasil só fica atrás dos Estados Unidos em números de óbitos e casos confirmados: 2.206.121 casos e 119.473 óbitos. Em todo o planeta, 8.061.549 pessoas estão com a doença e 440.290 morreram.

São Paulo

São Paulo continua sendo o epicentro da pandemia com maior número de mortes e casos e, nesta quarta-feira (17) o estado registrou mais um recorde de mortes. Em 24 horas foram registrados 389 óbitos. Com isso, o estado já soma 11.521 óbitos. O total de casos confirmados é de 191.517.

Apesar do aumento, o estado segue seu plano de reabertura gradual das atividades econômicas, iniciado no dia 10 de junho, que tem levado muitas pessoas às ruas provocando filas e aglomerações em locais públicos. A medida determinada pelo governador João Doria (PSDB) é acompanhada com preocupação pelas autoridades da saúde.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro, estado que tem mais casos de coronavírus do que a China e também está reabrindo o comércio, foi o estado que mais registrou diagnósticos nas últimas 24 horas. Foram 3.620, a maior alta contabilizada deste mês e a terceira maior em toda a pandemia.

No total, o estado registra 86.963 casos da doença, 2 mil a mais do que a China inteira — que soma 84.867, segundo a Organização Mundial da Saúde  (OMS) - e 8.138 mil óbitos.

Outros estados com mais perdas de vidas são o Ceará, com 5.282 mortes, Pará 4.29, Pernambuco 4.009, Amazonas 2.579, Maranhão 1.570, Bahia 1.222 e Espírito Santo 1.169.

Juntos, esses estados somam 39.781 mortes, ou seja, 85,5% de todos óbitos.

Mato Grosso do Sul (MS) é o que tem menos mortes pela Covid-19, até o momento o estado registra 36 mortes.

 

Centro-Oeste e Sul

Após apresentar desde o início da pandemia baixo índice de contaminação e ocupação de leitos hospitalares, a pandemia do novo coronavírus está na sua fase crítica no Mato Grosso, Goiás e Curitiba.

Mato Grosso vê o cenário da Covid-19 avançar e passou a ter lotação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) em algumas cidades do interior do estado. O estado tem mais de 7 mil casos da doença. Em 31 de maio, era de 2.485. Mato Grosso registrou nesta quarta-feira (17) 272 mortes por covid-19.

No Paraná, o aumento de casos fez o governador Ratinho Júnior (PSD) propor regras mais rígidas de isolamento em Curitiba e cidades da Região Metropolitana, que devem valer a partir de sexta-feira (19).

Entre as medidas apresentadas, está a proibição da entrada de crianças em mercados e do consumo de bebidas alcoólicas nas ruas após 22h e fechamento dos shoppings aos fins de semana.

De terça-feira (16) para quarta (17), o Paraná bateu recorde de casos confirmados e mortes pelo novo coronavírus, foram 841 novos diagnósticos em 24 horas e 30 mortos em alguns dias. O estado enfrenta sua pior crise e, no total, chegou à marca de 10.557 pessoas infectadas e 364 óbitos.

Sinal de estabilização em alguns estados

Em pelo menos sete estados do país há sinais de uma retração no percentual de contaminação. Os dados foram produzidos pelo projeto Covid-19 Analytics, feito em parceria entre a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ) e a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Para chegarem a esse número, os pesquisadors consideram o Rt, que mede a taxa de retransmissão do vírus. Quando ela está abaixo de 1, significa que a média de pessoas contaminadas por um infectado está abaixo de um, o que indica uma redução no ritmo da epidemia.

Os estados que apresentam esses indicadores apontados pelo projeto Covid-19 Analytics são: Acre, Amazonas, Maranhão, Pará, Pernambuco, Roraima e Tocantins.