• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil registra média diária de 461 mortes e total chega a 157.451 mil vítimas

Apesar da tendência de queda, não se pode baixar a guarda. Nas últimas 24 horas, houve 288 novos registros de mortes e 17.791 novos casos no país

Publicado: 27 Outubro, 2020 - 11h44

Escrito por: Redação CUT

Secom Governo da Bahia
notice

O Brasil registra a média móvel de 461 mortes por dia pela Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. De acordo com o balanço do consórcio de imprensa atualizado às 8h desta terça-feira (27), o país acumula até o momento 157.451 mortes e 5.411.550 brasileiros infectados pela doença.

Os números de casos e mortes registrados nesta segunda-feira (26) mostra as oscilações dos últimos sete dias, o que elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana. Nas últimas 24 horas, houve 288 novos registros de mortes e 17.791 novos casos no país.

O Brasil é o 2º país com mais mortes por Covid-19. Os Estados Unidos têm mais vítimas: 230.888. Já em números de casos confirmados da doença, o Brasil segue em terceiro, atrás apenas do país norte-americano (8,7 milhões) e da Índia (7,9 milhões).

A taxa de letalidade coloca o Brasil na 4ª posição do ranking mundial. O Peru é o país onde a Covid-19 mais mata em relação ao número de habitantes. São 1.031 mortes por milhão de pessoas. Distrito Federal, Rio de Janeiro, Roraima, Mato Grosso e Amazonas têm taxas mais altas do país.

Apesar de os números estarem em tendência de queda, não se pode baixar a guarda. Alguns estados ainda apresentam alta de casos e até uma possível segunda onda da doença. Como é o caso do Amazona, Ceará e Bahia.

Sinal vermelho em dois estados nordestinos

Nesta segunda-feira, o Ministério da Saúde reconheceu o estado de calamidade pública na Bahia e no Ceará em razão da pandemia da Covid-19 através da portaria da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil foi publicada no Diário Oficial da União. 

Bahia

Balanço divulgado neste domingo (25) pela Secretaria de Saúde da Bahia mostra que o estado registrou 691 novos casos de coronavírus em 24 horas. No total, o estado acumula 344.705 casos, desde o início da pandemia. O boletim traz ainda o registro de 22 novas mortes, totalizando 7.475 óbitos no estado.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), revogou o decreto que instituía o home office ou trabalho remoto para servidores que tenham 60 anos ou mais. A revogação foi publicada no Diário Oficial do Estado deste sábado (24).

Com isso, de acordo com as normas regimentais de cada instituição, esses servidores deverão retornar ao trabalho. A medida vem gerando polêmica no estado da Bahia porque ainda não há vacina disponível, já que essas pessoas são do grupo de risco.

Ceará

No Ceará, o boletim do Ministério da Saúde, aponta 872 novos casos e dois óbitos registrados em 24 horas no estado. O estado acumula 270.264 casos, e as mortes já chegam a 9.248.

Também no Ceará, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) registrou quatro bairros de Fortaleza que concentram um grande número dos novos casos de Covid-19 na cidade. Os bairros Centro, Meireles, Mucuripe e Cocó apresentaram, em uma semana, um avanço substancial do número de casos confirmados de Covid-19. Situação parecida também vivem cinco cidades do interior que são elas: Crateús, Icó, Juazeiro do Norte, Russas e Tauá.

Devido ao aumento do número de casos confirmados essas cidades foram alvo de recomendações de medidas mais restritivas para frear o crescimento da Covid-19 no interior.

Devido ao crescimento significativo de casos de coronavírus nessas regiões, o Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste mostra que a situação no Ceará mudou drasticamente. O estado, que vinha com uma boa recuperação, teve um aumento considerável de óbitos, além de uma transmissibilidade maior que um, o que indica que cada pessoa com coronavírus pode infectar mais de uma pessoa.

Demais estados

Oito estados apresentam indicativo de alta de mortes, entre eles os três que integram a região Sul: Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, Acre, Amazonas, Amapá, Ceará e Pernambuco. A última vez em que tantos estados apresentaram tendência de alta ocorreu em 24 de setembro.

Outros nove estados têm curvas que apontam queda.

No Acre, por exemplo, a média estava em 1 permaneceu em 1 no período de duas semanas, resultando em uma variação de +43%.

No Amazonas, que teve a maior variação (+80%), o número saltou de 9 para 16 mortes por dia.

Em alta está: PR, RS, SC, AC, AM, AP, CE e PE

Em estabilidade, ou seja, o número de mortes não caiu nem subiu significativamente (10 estados): ES, RJ, SP, PA, RR, TO, MA, PB, PI e SE

Em queda (8 estados + o DF): MG, DF, GO, MS, MT, RO, AL, BA e RN