• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil passa de 595 mil mortes por Covid-19 e patamar ainda é considerado alto

Ao todo, o país acumula 595.446 vidas perdidas e 21,3 milhões de casos da doença

Publicado: 29 Setembro, 2021 - 12h51

Escrito por: Redação CUT

Alex Pazuello/Semcom
notice

Apesar da estabilidade nos números de mortes e casos confirmados de Covid-19, os registros seguem em patamares altos. Entre segunda-feira (27) e terça-feira (28), o país registrou 793 óbitos em consequência de complicações causados pela doença, totalizando 595.446 mil vidas perdidas desde o começo da pandemia.

De acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), que compila dados de secretarias de Saúde dos 26 Estados e do Distrito Federal, em 24 horas foram registrados 15.395 novos casos de Covid-19, totalizando 21.381.790  desde o ano passado.

A média móvel de mortes nos últimos 7 dias ficou em 569. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de uma queda de 5%, o que aponta estabilidade, mas o Brasil está há 15 dias com média acima da marca de 500.

No mundo, de acordo com o Johns Hopkins, 232.641.152 pessoas já se contaminaram com o novo coronavírus. Outras 4.761.734 foram a óbito em todo o planeta. A universidade aponta que 6.146.947.196 doses da vacina já foram aplicadas.

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, 233.261.963 doses foram aplicadas em todo país, sendo que 145.622.109 pessoas receberam a primeira dose e 87.994.741 estão totalmente imunizadas com a segunda dose da AstraZeneca, Coronavac ou Pfizen ou a dose única da Jansen. Idosos já estão recebendo a dose de reforço, desde que tenham tomado as duas doses há mais de seis meses.

Cidades já exigem passaporte da vacina

O passaporte da vacina já é exigido em ao menos 249 municípios brasileiros. O documento, lançado pelo Ministério da Saúde há menos de um mês, teve sua exigência criticada pelo presidente Jair Bolsonaro (ex-PSL), mas é cobrado em ao menos 4,5% das cidades do país.

Os dados são de um levantamento feito pela Confederação Nacional de Municípios (CNM) entre os dias 20 e 23 de setembro, com respostas de 2.461 cidades.

Para Paulo Ziulkoski, presidente da entidade, o número real deve ser ainda maior, considerando que menos da metade dos mais de 5.500 municípios do país responderam ao questionário.

Segundo o levantamento da CNM, publicado pela Folha de S. Paulo, a região Norte é a que tem percentualmente mais cidades com a regra (20,7%), seguida do Nordeste (15,6%). O Sudeste é a que tem menor proporção, com a exigência em apenas 6,6% dos municípios.