• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil já tem mais mortes por Covid em julho deste ano do que no pior mês de 2020

Segundo dados do consórcio de imprensa, em julho de 2020 foram 32.912. A média diária de mortes é de 1.083

Publicado: 29 Julho, 2021 - 12h12

Escrito por: Redação CUT

Alex Pazuello/Semcom
notice

Mesmo com queda no número de mortes e nos indicadores de ocupação de leitos em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para o tratamento da Covid-19, o Brasil já registra mais vidas perdidas em decorrência da doença em julho deste ano do que no pior mês de 2020. O que pode frear o aumento do número de contaminações e mortes é a vacinação, que ainda continua a passos lentos no país, alertam os especialistas, preocupados com a variante Delta, que vem atingindo em cheio os Estados Unidos.

O número de novos casos de Covid-19 passou de 92 mil no fim de junho para 500 na última semana nos EUA, especialmente por causa da variante Delta. A maioria dos contaminados não tomou a vacina.

Mais vidas perdidas em julho deste ano

Neste mês que ainda não acabou já foram registrados  33.660 óbitos contra 32.912 em jullho de 2020, segundo o consórcio de imprensa.

A média diária de mortes está em 1.083. De terça-feira (27) para quarta-feira (28), 1.366 mortes por Covid-19 foram registradas. No total, 553.272 pessoas perderam a vida para a doença no país desde o começo da pandemia.

Também em 24 horas, foram confirmados 48.556 novos casos. Desde o início da pandemia, 19.797.516 pessoas foram contaminados em todo o país. As médias de novos casos seguem dentro da estabilidade, mas com um aumento de 8% em relação a 14 dias atrás - 46.147 novos casos por dia.

Já a média de mortes continua caindo: são 1.083 por dia, o que demonstra uma redução de 13% na comparação com duas semanas atrás.  Sobre a média de mortes em cada estado, três aparecem com alta na média de mortes: Piauí, Pernambuco e Rio de Janeiro.

Em estabilidade, são 11 estados (Amazonas, Roraima, Pará, Amapá, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo e Santa Catarina) e o Distrito Federal. Com queda na média de mortes, são 12 estados: Acre, Rondônia, Tocantins, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Alagoas, Sergipe, Bahia, Paraná e Rio Grande do Sul.

EUA podem estar perdendo de novo controle da pandemia com variante Delta

Mesmo com vacinas sobrando, os Estados Unidos podem perder o controle da pandemia do novo coronavírus com a circulação da variante Delta. O país tem pouco menos da metade da população totalmente imunizada contra a Covid-19 e as infecções aumentando de modo desenfreado.

O alerta é do assessor da Casa Branca para doenças infecciosas, Anthony Fauci, que prevê um recrudescimento da crise sanitária no país se não forem tomadas medidas para contornar a situação.

O país com maior número de mortos pela Covid-19 viu o volume de novos casos de a doença atingir 500 mil na última semana, um avanço expressivo frente aos 92 mil registrados na última semana de junho.

A situação é tão preocupante, que o governo norte-americano a estuda a volta da obrigatoriedade do uso de máscara até mesmo entre os vacinados. É um sinal de alerta para o Brasil que, mesmo com a variante Delta e com menos 20% da população totalmente vacinada, flexibilizou as medidas restritivas contra a disseminação do vírus em vários estados.

A estimativa dos cientistas é de que, com a circulação da variante Delta, o número de casos e mortes por Covid-19 nos EUA atinja o pico em outubro com cerca de 240 mil novos casos e quatro mil mortes por dia.

A variante Delta foi responsável por cerca de 83% dos novos casos de coronavírus nos Estados Unidos, de acordo com dados do Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Vacinação no Brasil

Os números reunidos pelo consórcio de veículos da imprensa sobre pandemia e vacinação apontaram que, entre terça-feira (27) e esta quarta-feira (28), 876.503 pessoas tomaram a primeira dose da vacina contra Covid-19 no Brasil, e 789.378 receberam a segunda dose ou a vacina em dose única.

Nesta quarta-feira, foram 1.665.881 vacinados. Até agora, 98.202.468 pessoas receberam a primeira dose no país, o que corresponde a 46,38% da população. Já 39.493.648 pessoas estão completamente imunizadas, com as duas doses ou a dose única, o que equivale a 18,65% dos brasileiros.

Em relação às pessoas completamente imunizadas, os estados que apresentam os maiores percentuais são, em ordem: Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina.