• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Brasil já soma 101.136 mortes e 3 milhões de pessoas contaminadas

Imprensa brasileira e internacional responsabiliza Jair Bolsonaro pela tragédia que atinge o país e não tem previsão de ser controlada

Publicado: 10 Agosto, 2020 - 11h54 | Última modificação: 10 Agosto, 2020 - 12h12

Escrito por: Walber Pinto, com colaboração da CUT-PB e CUT-BA

Reprodução
notice

Sem nenhuma palavra de solidariedade de Jair Bolsonaro (ex-PSL) às famílias que perderam um ou mais antes queridos, nem tampouco uma ação nacional para combater a pandemia, o Brasil segue como o segundo país que mais registra vítimas fatais da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. Está atrás apenas dos Estados Unidos, outro país onde o presidente Donald Trump tratou a doença com pouco caso.

O Brasil já soma mais de 101.136 mortes e 3 milhões de brasileiros infectados pela Covid-19 e o índice de contágio e mortes segue em apresentar qualquer sinal de queda. Os EUA tem mais de 5 milhões de casos e 162.950 mortes.

Neste fim de semana, quando o Brasil atingiu a triste marca de cem mil óbitos, menos de cinco meses antes de registrar a primeira morte, a maioria dos jornais e até a imprensa internacional culpou Bolsonaro que, em vez de liderar para combater a maior crise sanitária da história, negou a gravidade da pandemia, promoveu aglomerações e divulgou falsas informações sobre remédios para tratar a doença, como a cloroquina, medicamento sem comprovação científica.

Em 24 horas foram registrados 22.213 novos casos e 593 mortes pela doença, segundo o consórcio de imprensa.

Para se ter a dimensão do avanço da doença no país, apenas 5% dos 5.570 municípios brasileiros têm mais habitantes do que a quantidade de mortos pela Covid-19, segundo o Instituto Brasileiro Geográfico Estatístico (IBGE), que mostra ainda que em apenas 92 ainda não tinham, até a último dia 7, nenhum caso registrado da doença.

O coronavírus não chegou a São Domingos, na Paraíba, Urupema, em Santa Catarina e até municípios do sertão nordestino de Piauí fazem parte dos 2% dessas cidades que conseguiram barrar a entrada do vírus. Totalizando 84 cidades em nove estados sem nenhum caso confirmado.

Estados

O estado do Rio de Janeiro chegou a 178.850 casos da doença e 14.080 vítimas fatais. No entanto, apresenta uma tendência de queda. Neste deste domingo (10), foram registrados 10 óbitos nas últimas 24 horas.

Durante uma semana, 508 óbitos e 11.625 casos foram registrados, enquanto que do dia 26 ao dia 2, na semana anterior, foram 737 óbitos e 10.900 casos, ou seja, houve uma variação negativa de 31% sem número de mortes, e 6 % a mais de pessoas infectadas.

Já São Paulo, estado que lidera a pandemia no país, ultrapassou 25,1 mil mortes causadas por Covid-19. O número de óbitos, causados pela Covid-19, registrados no estado, chegou neste domingo (9) a 25.114. O número de casos confirmados, que no sábado (8) era de 621.731, subiu para 627.126.

Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Minas Gerais apresentaram alta de mortes. Já Espirito Santo, Ceará e Piauí estão com casos em queda e passaram a ficar estáveis.

Rio Grande do Norte mudou de estabilidade para queda, e Mato Grosso do Sul passou de alta de casos para estabilidade.

Rio de Janeiro, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Alagoas, Maranhão, Paraíba, Rio Grande do Norte e Sergipe apresentam queda em casos e mortes.

Paraíba

Paraíba registrou, neste domingo (9), 189 novos casos de Covid-19 e 17 óbitos, 4 deles foram ocorridos nas últimas 24h. Até o momento, 90.082 pessoas já contraíram a doença, 43.916 já se recuperaram e 2 mil, infelizmente, morreram.

A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 44%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 49%. Em Campina Grande, estão ocupados 40% dos leitos de UTI adulto e no sertão, 47% dos leitos de UTI para adultos. 

O índice de Isolamento Social foi de apenas 37,7%, considerado baixo em relação à meta de 70% e à mínima de 50%.

Salvador

Já em Salvador, capital baiana, entrou na terceira fase de reabertura das atividades comerciais ao ter atingido a menor taxa de ocupação dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dos últimos tempos: 55%.

O prefeito da cidade, ACM Neto (DEM), em pronunciamentos anteriores, havia anunciado que se o percentual se mantivesse abaixo dos 75%, por dias consecutivos, daria início ao processo de flexibilização do comércio.

Já o governador Rui Costa (PT) reabriu o terminal rodoviário de Salvador, que estava fechado há 04 meses, e cidades que estão num raio de 100km da capital terão o transporte intermunicipal reativado com uma série de protocolos de segurança. Houve também liberação para o transporte hidroviário que liga a cidade a Ilha de Itaparica, na baia de todos os santos.

A Bahia registou 193.029 casos de pessoas infectadas pelo novo coronavírus e 3.953 óbitos desde o início da pande