• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

"Bolsonaro traidor", dizem policiais em protesto contra a reforma da Previdência

Os policiais civis e federais querem os mesmos privilégios dos militares para não perderem os benefícios que a reforma da Previdência vai tirar de trabalhadores, trabalhadoras e dos servidores

Publicado: 02 Julho, 2019 - 15h02 | Última modificação: 02 Julho, 2019 - 16h26

Escrito por: Redação CUT

reprodução Facebook
notice

Um grupo de representantes dos policiais militares chamou de traidor Jair Bolsonaro (PSL) em protesto contra a reforma da Previdência, no Salão Verde da Câmara, em Brasília, nesta terça-feira (2). Sentados no chão do salão, os policiais em coro gritaram “Bolsonaro,traidor”.

A manifestação foi em protesto contra a decisão do relator da reforma da Previdência, Samuel Moreira (PSDB-SP), de não acatar emendas que igualem os benefícios dessas categorias aos dos militares, apesar da bancada do PSL ter já demonstrado insatisfação com o tratamento dado aos policiais, considerados os principais eleitores do partido de Bolsonaro.

A decisão de Moreira em não retirar os policiais da reforma é para acatar o pedido do ministro da Economia, o banqueiro Paulo Guedes, que quer impedir a “desidratação” do texto da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019). Segundo o ministro, a não inclusão dos policiais na reforma da Previdência, diminuiria a "economia" em    R$ 20 bilhões os recursos que ele quer arrecadar, ao impor aos trabalhadores,trabalhadoras e servidores públicos a perda de uma aposentadoria mais digna.