• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Bolsonaro nomeia reitor menos votado e entra em confronto com a UFRGS

Decreto presidencial opta pelo terceiro nome da consulta à comunidade da UFRGS. Medida fere a autonomia universitária, protesta a União Nacional dos Estudantes

Publicado: 16 Setembro, 2020 - 12h26 | Última modificação: 16 Setembro, 2020 - 12h29

Escrito por: Redação RBA

Divulgação
notice

O presidente Jair Bolsonaro nomeou o professor Carlos André Bulhões Mendes como reitor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). A escolha, anunciada em decreto no Diário Oficial da União desta quarta-feira (16) é contrária à preferência da comunidade acadêmica da universidade gaúcha. Mendes foi apenas o terceiro nome na consulta interna da universidade.

Com a decisão, Bolsonaro quebra a tradição de escolha dos nomes mais votados pela comunidade acadêmica. A União Nacional dos Estudantes (UNE) se manifestou nas redes sociais. “Mais uma nomeação autoritária, dessa vez na UFRGS. Bolsonaro nomeou o candidato que PERDEU a eleição para reitoria. Amanhã é dia nacional de luta contra as intervenções nas universidades públicas. Respeite a autonomia universitária”, afirmou.

Também o deputado Paulo Pimenta (PT-RS) saiu em defesa da autonomia universitária. “Trata-se de fato gravíssimo que destrói uma conquista de 30 anos da comunidade universitária e da sociedade. Não podemos aceitar calados a escalada autoritária”, afirmou.

Segundo o jornal gaúcho Zero Hora, “a chapa do futuro reitor, que é professor do Instituto de Pesquisas Hidráulicas (IPH), e da também docente Patrícia Helena Lucas Pranke foi a menos votada tanto na consulta acadêmica promovida pela UFRGS quanto na eleição do Conselho Universitário (Consun), que definiu a lista tríplice encaminhada ao Ministério da Educação (MEC). O MEC, por sua vez, encaminhou os nomes ao presidente após análise.”

Nas redes, o deputado Pimenta também lembrou da luta histórica em defesa das universidades. “Em 1985 fui baleado na luta por ‘Diretas Urgente pra Reitor e Presidente’, próximo ao DCE/UFSM. Hoje Bolsonaro nomeia Bulhões, 3° colocado nas eleições, como reitor da UFRGS e ignora uma conquista histórica da democracia. Não podemos nos calar diante do avanço do autoritarismo”.

Confira a íntegra do decreto

DECRETO DE 15 DE SETEMBRO DE 2020

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84,caput, inciso XXV, da Constituição, e tendo em vista o disposto no art. 16,caput, inciso I, da Lei nº 5.540, de 28 de novembro de 1968, resolve:

NOMEAR,

a partir de 21 de setembro de 2020, CARLOS ANDRÉ BULHÕES MENDES, Professor da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, para exercer o cargo de Reitor da referida Universidade, com mandato de quatro anos.

Brasília, 15 de setembro de 2020; 199º da Independência e 132º da República.

JAIR MESSIAS BOLSONARO