• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Beneficiários do Bolsa Família recebem terceira parcela do auxílio de R$ 600

Governo ainda não divulgou data de pagamento da 3ª parcela para  os 50,5 milhões de trabalhadores que receberam a primeira até 30 de abril, nem da 2ª parcela para dos que receberam a primeira parcela em maio

Publicado: 17 Junho, 2020 - 10h57

Escrito por: Redação CUT

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
notice

Os beneficiados do Programa Bolsa Família começam a receber nesta quarta-feira (17) a terceira parcela do auxílio emergencial de R$ 600 (R$ 1.200 para mães chefes de família).

O governo ainda não anunciou a data de pagamento da terceira parcela do auxílio para os mais de 50 milhões de trabalhadores informais e desempregados que receberam a primeira parcela até 30 de abril.

Também não foi divulgado o calendário de pagamento da segunda parcela do auxílio para o segundo lote de 8,5 milhões trabalhadores que tiveram o cadastro aprovado após dias e dias de espera.

O auxílio emergencial, aprovado pelo Congresso Nacional em março, prevê o pagamento de três parcelas de R$ 600 para trabalhadores informais, autônomos, microempreendedores individuais (MEIs), desempregados de baixa renda, além dos integrantes do Bolsa Família. O  governo deve estender o pagamento do auxílio em pelo menos mais duas parcelas , mas com valor inferior, de R$ 300,00 ou R$ 200,00, ao contrário do que foi aprovado pelo Congresso.

Bolsa Família

O calendário regular de pagamento dos beneficiários do Bolsa família segue o cronograma do programa, que se baseia no Número de Identificação Social (NIS). Nesta quarta, será depositado o auxílio de 1,9 milhão de pessoas que tem o NIS com final 1. A Caixa segue depositando até o dia 30 de junho.

Confira as datas dos depósitos da terceira parcela para o Bolsa Família

Quarta-feira (17) - NIS final 1

Quinta-feira (18) - NIS final 2

Sexta-feira (19) - NIS final 3

Segunda-feira (22) - NIS final 4

Terça-feira (23) - NIS final 5

Quarta-feira (24) - NIS final 6

Quinta-feira (25) - NIS final 7

Sexta-feira (26) - NIS final 8

Segunda-feira (29) - NIS final 9

Terça-feira (30) - NIS final 0

 

Novos beneficiados

Também nesta quarta-feira, a Caixa conclui os depósitos da primeira parcela do auxílio emergencial para o terceiro lote de 4,9 milhões trabalhadores que se cadastraram para receber o benefício entre 1º e 26 de maio e foram aprovados na semana passada.

Todos vão receber por meio de crédito em poupança digital social. Hoje, recebem os nascidos entre julho e dezembro. Na terça-feira (16), outros 2,4 milhões também receberam o auxílio.

Números do programa

De acordo com a Dataprev mais de 124,1 milhões de pessoas se cadastraram para receber o benefício. Até segunda-feira (15), a estatal havia processado 98,6% dos cadastros. Isso significa que a empresa pública cruzou informações autodeclaradas pelos requerentes por meio do site ou aplicativo da Caixa com a base de dados federais. Atualmente, restam 1,6 milhão de cadastros em processamento, referentes ao período de 27 de maio e 11 de junho. Outros 34.043 pedidos de abril (0,03% do total) passam por processamento adicional no Ministério da Cidadania.

Do total de pedidos, 64,14 milhões foram considerados elegíveis e 16,69 milhões classificados como inconclusivos, quando faltam informações para o processamento integral do pedido. Os inelegíveis, que não têm direito ao benefício pelos critérios estabelecidos em lei, foram 41,59 milhões.

O governo consulta diversas bases oficiais de dados, resguardados os sigilos fiscais e bancários, de forma simultânea, para identificar se o requerente se enquadra nos critérios legais para receber o benefício. Até a semana passada, foram recuperados aos cofres públicos cerca de R$ 29,65 milhões pagos a pessoas fora dos critérios para recebimento.

Por meio do site https://devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao, um total de 39.517 pessoas que não se enquadravam nos critérios da lei que criou o auxílio emergencial emitiram Guias de Recolhimento da União (GRU) para devolver valores. Desse total, 23.643 foram militares, que somaram R$ 15,2 milhões em devoluções.