MENU

Bancários do Banco do Brasil fazem dia de luta em defesa da vida nesta quinta (27)

Dia Nacional de Luta em defesa da vida e da saúde no Banco do Brasil terá atos realizados em agências em todo o Brasil em protesto à decisão do banco em retomar o trabalho presencial

Publicado: 27 Janeiro, 2022 - 09h23

Escrito por: SP Bancários

SP Bancários
notice

Os funcionários do Banco do Brasil, ao lado dos seus sindicatos, farão nesta quinta-feira 27 um ato em todo o país (Dia Nacional de Luta) para protestar pela implementação do teletrabalho (home office) e dos protocolos de segurança sanitária contra covid-19 e Influenza (H3N2); e contra a direção do BB, que vem priorizando as metas e o lucro em detrimento da saúde e da vida de clientes e trabalhadores.

Serão realizados atos em diversas agências e centros administrativos por todo o país. Os funcionários devem usar a cor preta em protesto contra a atitude negligente e negacionista da direção do banco. Às 11h, será realizada uma manifestação virtual, no Twitter e demais redes sociais, com a hashtag #DiaDeLutaBB. É fundamental a participação do maior número de bancários nos protestos.

Em dezembro, mesmo diante do evidente cenário de aumento de transmissões da covid-19, a direção do BB insistiu em acabar com o home office.

E, no início de janeiro, sem nenhuma negociação com o movimento sindical – e já com o número de infecções aumentando exponencialmente no banco e de internações batendo recordes no Brasil –, o comando da empresa divulgou um novo Manual do Trabalho, sem o item que previa o encerramento do expediente em unidades, na hipótese de confirmação de trabalhador contaminado nas últimas 72 horas.

Reivindicações do movimento sindical e dos bancários

  • implementação dos protocolos de segurança sanitária contra covid-19 e Influenza (H3N2) em todas as unidades e agências do BB.
  • Encaminhamento de todos os empregados com alguma comorbidade, e os que trabalham em departamentos de prédios comerciais, sem atendimento ao público, para o home office.
O Sindicato e demais entidades, junto com os trabalhadores, cobram da direção do Banco do Brasil a implementação de medidas que visem a priorização da saúde e da segurança das trabalhadoras e dos trabalhadores, e que também tenham impacto na proteção da vida e da saúde dos clientes e usuários
- Getúlio Maciel, dirigente da Fetec-CUT/SP e integrante da CEBB