• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Aula Inaugural Brigadas Digitais da CUT: A ação individual fará a diferença

Projeto Mutirão de Formação em Comunicação – Brigadas Digitais da CUT quer dialogar como o povo brasileiro e combater as notícias falsas e a retirada de direitos da classe trabalhadora

Publicado: 29 Setembro, 2021 - 15h34 | Última modificação: 29 Setembro, 2021 - 15h54

Escrito por: Érica Aragão e Maísa Lima

Captura de Imagem: Roberto Parizotti (Sapão)
notice

“Nas redes sociais há democratização do poder de fala, mas não temos a democratização do poder de escuta. Não é todo mundo visto e ouvido e é preciso pensar que estratégias para ser visíveis e ouvidos são essenciais para nós. E a ação individual faz a diferença, cada um de nós pode fazer diferença, nas ruas e nas redes”.

A afirmação foi feita pela pesquisadora em Comunicação Digital na Universidade Federal da Bahia (UFBA), Dra. Nina Santos na “Aula Inaugural Conjuntura, comunicação e Disputa de Hegemonia” do projeto Formação em Comunicação – Brigadas Digitais da CUT, que aconteceu nesta terça-feira (28), de forma virtual.

Com a missão de compreender o papel estratégico da comunicação na disputa pela hegemonia, a lógica de funcionamento das redes sociais e como elas são utilizadas para e na disputa de hegemonia, a aula inaugural teve a participação de mais 450 dirigentes, militantes e trabalhadores sindicais e foi dado o pontapé inicial do que promete ser uma das iniciativas mais ambiciosas da maior central sindical do país e da América Latina.

A aula inaugural também teve outra convidada especial. Brunna Rosa, cientista social e tecnóloga criativa, que trabalha há 10 anos no ambiente digital e faz parte da equipe de estratégia Digital do ex-presidente Lula, e foi coordenada por dois educadores da Rede de Formadores da CUT, Thalita Coelho e Paulo Henrique.  

O presidente Nacional da CUT, Sérgio Nobre, contou que uma vez que a extrema direita utiliza as redes sociais para atacar os direitos da classe trabalhadora, interferir no processo eleitoral e disseminar notícias falsas, a Central sentiu necessidade de repensar a comunicação, os meios de produção e a disseminação de informações voltadas para a classe trabalhadora.

Captura de TelaCaptura de Tela
Sérgio Nobre

“É prioridade e fundamental que a Central dialogue com milhões de pessoas, que amplie a voz da classe trabalhadora nas redes sociais e assim impacte nas decisões no Congresso Nacional e dos patrões”, disse o dirigente.

“Nos prepararmos para a batalha nas redes sociais vai ajudar a construir um país mais justo para todos”, acredita o presidente da CUT Brasil, Sérgio Nobre, que juntamente com vários outros dirigentes CUTistas participou da aula inaugural. 

 

Desafios digitais

A sala lotada e o grande número de perguntas e participações animaram e emocionaram ainda mais os secretários de Comunicação, Roni Barbosa, e de Formação da CUT, Rosane Bertotti.

Roni disse que este 28 de setembro será histórico na memória da classe trabalhadora porque é um projeto fundamental para as trabalhadoras e os trabalhadores conseguir organizar e fazer um bom combate nas redes sociais e derrotar a direita, mas também todas as ações do movimento sindical, conversas, assembleia e ser um influenciador no local de trabalho e digital.

Captura de TelaCaptura de Tela
Roni Barbosa

“O Mutirão é responsabilidade de todos nós porque nós todos podemos ser influenciadores digitais e mudar nossas realidades locais. É uma mudança de comportamento e vamos conseguir. A CUT vai construir história nas redes sociais a partir de agora”, destacou o dirigente.

Rosane Bertotti começou sua fala bastante emocionada e disse que a construção das Brigadas é grande desafio e necessidade da CUT e citou Paulo Freire lembrando que esse é um projeto com os trabalhadores e para os trabalhadores.

Captura de telaCaptura de tela
Rosane Bertotti

“Acreditamos na capacidade e ousadia da classe trabalhadora, dos dirigentes da CUT nas ruas e nas redes para reverter tudo que esse governo genocida está fazendo com nosso país e nosso povo. A luta digital também será fundamental para eleger um governo que priorize a pauta da classe trabalhadora”, concluiu a dirigente.

Militantes digitais

Além de explicar o funcionamento e dar dados sobre a internet, destacando o crescente número de pessoas se relacionando em rede digital e se apropriando dos smartphones, Brunna Rosa, disse que é preciso entender onde estamos e para onde vamos. Segundo ela, a vida do campo progressista não será fácil no próximo período, como nunca foi, principalmente nos últimos anos.

Captura de telaCaptura de tela
Brunna Rosa

Para Brunna, as Brigadas Digitais serão importantíssimas para que a comunicação chegue na ponta, mas é preciso ouvir, tentar entender e compreender o que as pessoas estão esperando da gente, fornecer elementos para trazer mais gente para a luta, tanto no movimento sindical quanto na disputa política cotidiana.

“Nós que queremos tirar o Brasil da miséria e ter um país menos desigual precisamos refletir e agir no sentido de como podemos transformar estes lugar através das mídias digitais. Precisamos urgentemente estruturar nossas bolhas, criar laços territoriais e temáticos, formar nossa redes, gerar mais ferramenta de relacionamento e fazer menos santinhos”, afirmou.

Captura de telaCaptura de tela
Nina Santos

A pesquisadora da UFBA ressaltou que estar em rede é agir em rede, “ensina e aponta os caminhos para isso, como qualidade da informação postada; pluralidade de fontes e pontos de vista; combate aos crimes de ódio; cobrar responsabilidade das plataformas; liberdade de expressão; e usar o meio digital como elemento de transformação social”.

O Projeto

O Mutirão de Formação em Comunicação – Brigadas Digitai da CUT é um amplo e massivo processo de formação, mobilização, organização e comunicação popular digital, em consonância com as diretrizes políticas e organizativas da CUT.

O objetivo do Projeto Brigadas Digitais da CUT é estruturar e fortalecer a Rede de Comunicação da CUT para que milhares de dirigentes, militantes e trabalhadores do movimento sindical CUTista atuem de forma articulada e permanente nos diversos territórios nas redes sociais.

Calendário do Projeto

DivulgaçãoDivulgação

Veja todas fotos da Aula Inaugural aqui.

*Edição: Marize Muniz