• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Assentamento Liberdade: 20 anos de resistência, luta e produção

Terras que antes só davam eucalipto e onde a água estava escassa, hoje produzem agroflorestas

Publicado: 16 Maio, 2018 - 16h13

Escrito por: Nilmar Lage | Rede de Colaboração Periquito / MG

Nilmar Lage
notice

As memórias sobre o Assentamento Liberdade foram reviradas e as emoções formam uma espécie de combustível para a luta. Robinson Ayres, economista, militante dos Direitos Humanos e anistiado pela ditadura no Brasil, lembra com muito orgulho da ocupação das terras que hoje formam o Assentamento Liberdade, em Periquito/MG. Apesar da solidariedade e apoio que sempre teve ao movimento, a madrugada de 10 de março de 1998 foi sua primeira ação direta pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), feita após estudos sobre a improdutividade daquelas terras que outrora atenderam à Acesita (atual Aperam Aços Inoxidáveis).  

Para Vânia Maria de Oliveira, principal liderança do Liberdade, a solidariedade foi um fator fundamental tanto para a resistência nos momentos em que ainda eram acampados, porque haviam muitas crianças, a produção de alimentos era pouca e as condições financeiras muito precárias, as doações vindas do Vale do Aço garantiam o sustento das quase 400 famílias que estavam acampadas. Esse sentimento, ou essa índole de ser solidário é um ponto alto do MST e que para Vânia é o que garante a sobrevivência do movimento. 

Hoje, além do plantio de hortaliças para abastecer feiras agroecológicas principalmente em Governador Valadares, há o viveiro de mudas para recuperação de áreas degradadas. O projeto “Semeando Agroflorestas”, surge como proposta para reflorestar áreas de ocupação do MST, mas já começa a expandir seu atendimento para demandas particulares, o que garante autonomia do projeto e sustento para as famílias de viveiristas que lá trabalham.

Região disputada

O histórico de luta por terras no leste de Minas Gerais é relativamente marcante. Ainda no período do Brasil colonial, por ser porta de entrada, via rio Doce, para região de Ouro Preto e Mariana, foram muitas as lutas entre exploradores e índios. Depois o estado de Minas Gerais disputou com Espírito Santo para que tivesse uma saída para o mar.

Nos últimos 60 anos, há conflitos por terras entre latifundiários e pequenos agricultores e  Governador Valadares seria o marco inicial do projeto de Reforma Agrária proposto por João Goulart.

Ao longo dos 20 anos do Assentamento Liberdade, existem muitos momentos de lutas, memórias marcantes, muitas alegrias e apenas um fato triste, para ser lembrado, mas como exemplo para não ser repetido. O assassinato ainda não esclarecido do produtor Silvino Gouveia, que completou um ano em abril.

Veja o vídeo

carregando