• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Agências do Banpará colocam em risco saúde dos trabalhadores, denuncia sindicato

Tem agência que alaga, tem mofo, ácaro e infiltrações. Há risco até de incêndio pois a água empoçada atingiu a parte elétrica

Publicado: 20 Maio, 2019 - 12h19

Escrito por: Redação CUT

Sindicatos dos Bancários do Pará
notice

O Sindicato dos Bancários do Pará enviou ofício à presidência do Banpará no início do mês relatando problemas nas estruturas de cinco agências, a situação mais crítica é na Empresarial Santarém, no oeste do estado.

De acordo com relatório do sindicato, durante o inverno amazônico quando as chuvas são intensas e diárias a agência Empresarial Santarém alaga e, por isso, dois andares usados para reuniões ou treinamentos tiveram que ser desativados e com o passar do tempo, mofo, ácaro e infiltrações tomaram conta não somente dos andares fechados, mas de toda a agência.

No documento, o sindicato aponta que os alagamentos constantes também geram outro fator de risco: o de um incêndio, pois a água empoçada atingiu a parte elétrica do espaço.

“O Banpará paga um dos aluguéis mensais mais caros da cidade de Santarém para abrigar uma agência de péssima qualidade e impregnada de riscos, tanto para a saúde dos trabalhadores, como para a imagem do banco”, afirma a entidade no ofício que também destaca que nem reparos resolveriam os problemas e sugere imediata mudança de endereço da agência Empresarial Santarém.

Dom Eliseu

Outra agência problemática fica em Dom Eliseu, sudeste paraense. Lá o imóvel é do próprio banco e os problemas da unidade já foram pautas nas reuniões do Comitê de Relações Trabalhistas (CRT). Depois disso, alguns reparos foram feitos, mas ainda insuficientes para melhorar o ambiente em que funciona a tesouraria.

Ananindeua Castanheira

A unidade também funciona em imóvel próprio do banco e está abaixo do nível da rua. Quando chove com mais intensidade, a fossa transborda e os dejetos ficam boiando no meio da agência, com odor insuportável e possibilidade real de qualquer pessoa que ali transita contrair alguma doença, principalmente na pele.

“É necessário o banco colocar prioridade total nas agências citadas, pois fica muito contraditório o Banpará ostentar o segundo lugar de melhor empresa paraense para se trabalhar, com esses ambientes insalubres para os bancários, clientes e usuários”, afirma o presidente do Sindicato dos Bancários do Pará, Gilmar Santos.

Capanema

Agência com espaço físico insuficiente para a quantidade de funcionários e funcionárias, e para a demanda de atendimento de clientes e usuários, além disso, o layout e o mobiliário são antigos.

Bragança

“A agência de Bragança não foi citada no ofício encaminhado ao banco, mas as recentes e intensas chuvas alagaram a unidade que foi inaugurada há pouco tempo e teve o atendimento ao público suspenso por dois dias, por falta de condições estruturais”, relata a dirigente sindical e bancária do Banpará, Vera Paoloni.

Segundo ela, a agência está abaixo do nível da rua bem próxima do rio, o que agrava ainda mais o risco de alagamentos. “Se tivermos outro inverno semelhante ao desse ano, seria prudente o remanejamento da unidade para outro local, sem que essa eventual mudança pese no centro de custos da agência”, pondera Vera.

Até o fechamento dessa matéria, o Banpará ainda não havia informado quais providências que serão tomadas pra os problemas apresentados.
 

Fonte: Bancários PA