• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Acharam que iriam nos separar no Natal, mas se enganaram, diz Lula a catadores

Em carta aos catadores de material reciclável, com quem passou o Natal todos os anos desde que foi presidente, Lula transmite uma mensagem de incentivo e pede para que não deixem o preconceito 'machucá-los'

Publicado: 14 Dezembro, 2018 - 12h38 | Última modificação: 14 Dezembro, 2018 - 12h46

Escrito por: Redação CUT

Ricardo Stuckert
notice

Estar ao lado dos catadores de materiais recicláveis no Natal é uma tradição para o ex-presidente Lula desde que assumiu a presidência da República. Para Lula, esses trabalhadores e trabalhadoras merecem ser tratados com a devida importância e, por isso, sempre fez questão não só de participar da celebração de Natal, mas também de recebê-los no Palácio do Planalto.

E este ano nem mesmo a prisão política conseguiu separar Lula de seus amigos. Eles foram até Curitiba, na Vigília Lula Livre, ao lado da sede da Superintendência da Polícia Federal, onde o ex-presidente é mantido preso político há oito meses, depois de um processo fraudulento, sem crime, sem provas.

“Se os que me prenderam injustamente sem eu ter cometido crime nenhum achavam que iam nos impedir de estarmos juntos em mais um Natal, se enganaram”, escreveu Lula na carta de agradecimento lida pelo ex-candidato à presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, durante a celebração do ‘Natal dos Catadores’.

“Eu estive com vocês antes de ser presidente, quando fui presidente, depois de ser presidente e estou com vocês hoje e estarei com vocês sempre”.

Lula foi o primeiro presidente da história do Brasil a receber oficialmente no Palácio do Planalto um grupo de catadores de materiais recicláveis e atender a demanda apresentada por esses trabalhadores e trabalhadoras.

“Meu governo começou assim, e começaria assim de novo, e eu nunca vou esquecer minha emoção com o depoimento de uma companheira catadora no último ano do meu segundo mandato, que disse que o mais importante que eu fiz para ela, foi ela ter orgulho da profissão dela, de cabeça erguida, de ter dignidade”, disse o ex-presidente

Lula pediu para que os catadores jamais abaixem a cabeça, nem mesmo diante do preconceito, pois, segundo ele, o preconceito é uma doença. “Gente preconceituosa, que cultiva o ódio, é gente doente. Não vamos nos deixar contaminar por essa doença”.

“Fiquem firmes, juntos, vamos teimar, vamos lutar, vamos trabalhar todo dia para construir um Brasil melhor. Um feliz Natal”.

Assista a leitura da carta de Lula por Fernando Haddad

Visita ao ex-presidente

O ex-presidente Lula recebe toda quinta-feira a visita de amigos e das mais diferentes personalidades do Brasil e do mundo. Nessa quinta-feira (13), o ex-presidente recebeu o líder do Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis (MNCR), Luiz Henrique da Silva, a quem entregou à carta e agradeceu a presença de todos ao seu lado em mais um Natal.

“Não senti nenhum prazer, nem estou orgulhoso de visitar o nosso presidente Lula aqui, mas fiquei muito feliz de ver que o mesmo presidente que nós conhecemos aqui fora é o mesmo que está lá dentro. Ele se encontra puto da vida, mas com muita saúde, muito animado para a gente continuar, e é o recado que ele manda para a gente: não abaixarmos a cabeça, continuarmos na luta e pensar em um projeto de país”, afirmou Luiz Henrique, depois da visita.

“Apesar de toda a adversidade, Lula está bem, e a preocupação dele foi que eu passasse para todos que ele está lá lendo muito, estudando e atento ao que está acontecendo”, afirmou ainda Luiz Henrique.

Esteve com o ex-presidente Lula também o escritor Raduan Nassar, autor da obra clássica da literatura brasileira Lavoura Arcaica e ganhador do prêmio Camões.

Leia a carta de Lula na íntegra:

"Queridos amigos do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis,

Se os que me prenderam injustamente sem eu ter cometido crime nenhum achavam que iam nos impedir de estarmos juntos em mais um Natal, se enganaram. Eu estive com vocês antes de ser presidente, quando fui presidente, depois de ser presidente e estou com vocês hoje e estarei com vocês sempre.

Todo ano como presidente da República, eu fiz questão de participar do Natal dos catadores para lembrar a sociedade que o governo deve cuidar de todos, mas ter um olhar especial para quem precisa mais, para o trabalhador.

Quando assumi a previdência, fiz questão de levar os ministros para visitarem algumas regiões mais pobres do país, para eles olharem nos olhos das pessoas, visitarem as casas do povo que tinha nos elegido e para quem tínhamos que governar. Alguns deles jamais tinham colocado o pé em uma favela. Eles precisavam saber que o povo não é estatística, são seres humanos lutando diariamente por uma vida melhor.

Meu governo começou assim, e começaria assim de novo, e eu nunca vou esquecer minha emoção com o depoimento de uma companheira catadora no último ano do meu segundo mandato, que disse que o mais importante que eu fiz para ela, foi ela ter orgulho da profissão dela, de cabeça erguida, de ter dignidade. Era para isso que eu queria ser presidente, para matar a fome do povo, dar oportunidade, dignidade e autoestima. Por isso, digo para vocês, não baixem a cabeça jamais, o trabalho de vocês é tão importante quanto o de um médico, engenheiro, advogado. É muito digno, e faz um bem nessa sociedade que produz tanto lixo no meio ambiente.

Não deixem o preconceito deles machucar vocês. O preconceito é uma doença.

Gente preconceituosa, que cultiva o ódio, é gente doente. Não vamos nos deixar contaminar por essa doença.

Muita saúde, muita força e muita solidariedade para vocês. Fiquem firmes, juntos, vamos teimar, vamos lutar, vamos trabalhar todo dia para construir um Brasil melhor. Um feliz Natal".

Luiz Inácio Lula da Silva