• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Abstenção bate recorde nas eleições 2020 e vence no RJ, GO e em SP

A eleição realizada em 57 municípios registrou abstenção maior que no primeiro turno, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou 23,1% de abstenção – o maior índice em 20 anosA

Publicado: 30 Novembro, 2020 - 13h55 | Última modificação: 30 Novembro, 2020 - 16h43

Escrito por: Redação CUT

Agência Brasil
notice

O percentual de abstenção bateu recorde neste domingo (29), dia do segundo turno das eleições 2020 e venceu no Rio de Janeiro, em  Goiânia e em São Paulo, com 29,5%. Um recorde para as eleições brasileiras.

Um crescente descontentamento do eleitor com a política e a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) são os motivos mais frequentemente apontados por analistas para a queda no índice de comparecimento do eleitor às urnas neste ano, mas muita gente foi a praia, contribuiu para formar aglomerações e não usou máscaras.

A eleição realizada em 57 municípios registrou abstenção maior que no primeiro turno, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) identificou 23,1% de abstenção – o maior índice em 20 anos.

Os dois maiores colégios eleitorais também registraram forte ausência de eleitores neste domingo: São Paulo anotou abstenção de 30,8%, enquanto no Rio de Janeiro esse índice chegou a 35,45%. No caso carioca, o total de 1,72 milhão de eleitores que não foram às urnas supera o total de 1,62 milhão de votos que elegeram Eduardo Paes para quatro anos de prefeitura.

Em SP, o total de eleitrores que não foi votar foi de 3.649.457, mais do que os votos conquistados pelo prefeito reeleito, Bruno Covas (PSDB), que teve 3.169.121 votos - Guilherme Boulos (Psol), teve 2.168.109 votos.

O fenômeno também se repetiu em outras cidades, tais como Goiânia – que teve 356 mil eleitores ausentes, enquanto Maguito Vilela foi eleito com 256 mil votos. Em São João do Meriti, na baixada fluminense, a abstenção foi de 120,8 mil, enquanto Dr. João (DEM) foi eleito com 122 mil votos.