• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

74.133 mil brasileiros perderam a vida para a Covid-19 e 1,9 milhão estão doentes

Do total de mortes confirmadas em 24 horas, entre segunda e terça-feira, mais da metade (51%) ocorreu no Sudeste, mas Região Sul vem registrando aumentos seguidos de vidas perdidas para a Covid-19

Publicado: 15 Julho, 2020 - 11h47

Escrito por: Redação CUT

Secom Governo da Bahia
notice

Em apenas 24 horas, entre segunda e terça-feira, o Brasil registrou 41.857 novos casos de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, totalizando 1.926.824 pessoas contaminadas em todo o país. No mesmo período, foram confirmadas 1.300 mortes, aumentando o total de vidas perdidas para 74.133, de acordo com os dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta terça-feira (14).

Apesar da abertura da economia em vários estados, com pessoas saindo do confinamento e se aglomerando em bares e restaurantes, ruas de comércio popular e até parques, o Brasil permanece em 2º lugar no ranking de países com mais mortes e mais pessoas infectadas pela Covid-19. Em primeiro, continua os Estados Unidos, com 3,5 milhões de infectados e 139 mil mortes, segundo dados da Universidade Johns Hopkins, dos EUA.

Nesta terça-feira (14), os Estados Unidos tiveram mais um recorde de novos casos de Covid-19 num único dia. Foram mais de 67 mil registros, mostrando que a pandemia vem piorando no país, apesar de o presidente Donald Trump continuar dizendo que a situação está sob controle e o isolamento social ter sido abandonado por vários governadores.

Onze estados americanos apresentaram recorde de internações e as recomendações de isolamento social devem voltar a ser implementadas para conter a expansão do vírus. A situação é grave na Flórida, onde os hospitais informam não ter mais leitos livres de Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Brasil

A explosão de casos e óbitos no Brasil nos últimos foi puxada pelo Sul e Centro-Oeste, que registraram maior aumento percentual de mortes. No Sul, o total de óbitos nos últimos sete dias dobrou na comparação com a semana anterior. Já o Centro-Oeste teve alta de 43%.

O Sul é a região com maior tendência de crescimento no número de mortes. Paraná e Rio Grande do Sul dobraram em números de óbitos nos últimos 14 dias.

O Rio Grande do Sul é o estado da região Sul com uma maior variação no número de mortes: 98,5%. Ele é seguido pelo Paraná, com 95,8% e Santa Catarina, com 47,7%.

Epicentro da pandemia no país São Paulo registrou mais 417 vidas perdidas em 24 horas. O número de novos casos também foi o segundo maior nesta terça, com 12 mil novas notificações.

São Paulo ainda soma o maior número total de registros - são 386.607 casos e 18.324 mortes. Depois, aparecem os estados do Ceará, Rio de Janeiro e Pará.

Do total de mortes confirmadas nas 24 horas entre segunda e terça, mais da metade (51%) ocorreram no Sudeste, que contabilizou 682 óbitos. A alta foi puxada por São Paulo, que teve seu segundo maior índice, com 417.

O Nordeste foi a segunda região com mais notificações de novas mortes, com 299, representando 22% do total.

Já o Centro-Oeste contabilizou 150 óbitos (11%), enquanto o Sul registrou 139 (10%) e o Norte, 71 (5%).

Estados com redução e aumento de casos

Cerca de 10 estados mais o Distrito Federal registram aumento médio diário no número de mortes por Covid-19, enquanto nove permanecem estáveis.

Além dos três estados do Sul, três estados do Centro-Oeste (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás) e também o DF, Rondônia e Tocantins (no Norte), Paraíba (Nordeste) e Minas Gerais registram aumento de mortes.

Permanece com o número de mortes estáveis os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia (no Nordeste), Espírito Santo e São Paulo (no Sudeste). 

Estão em queda as mortes em estados como Amazonas, Amapá, Acre, Roraima e Pará (no Norte), Rio Grande do Norte (no Nordeste) e Rio de Janeiro (no Sudeste).