• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

1º de Maio é marcado por protestos contra a reforma da Previdência de Bolsonaro

Milhares de pessoas saíram às ruas do país no Dia Internacional do Trabalhado para protestar contra a reforma da Previdência. No ato unificado das centrais foi marcado o 14 de junho como Dia da Greve Geral

Publicado: 01 Maio, 2019 - 15h23 | Última modificação: 01 Maio, 2019 - 18h31

Escrito por: Rosely Rocha

Roberto Parizotti
notice
Ato unificado das centrais no Vale do Anhangabaú, São Paulo

Milhares de pessoas saíram às ruas em todo o Brasil, nesta quarta-feira (1º),  para comemorar o Dia do Trabalhador e da Trabalhadora, em defesa da Previdência Pública, pedindo para barrar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC 006/2019), que aumenta o tempo de contribuição e reduz o valor do benefício pago aos aposentados.

Pela primeira vez, o ato foi unificado e reuniu as centrais sindicais do país: CUT, Força Sindical, Intersindical, CPSP-Conlutas, Nova Central, CGTB, CSB e UGT.

As centrais decidiram durante o ato em São Paulo que dia 14 de junho será o Dia da greve Geral contra a reforma da Previdência, de Jair Bolsonaro.

Confira os atos realizados no país nesta manhã de 1º de Maio. 

O ato que reuniu o maior número de pessoas foi em São Paulo. Até às duas da tarde já haviam circulado pelo Vale do Anhangabaú cerca de 200 mil pessoas.

Vale do Anhangabaú

 

Entre as personalidades políticas presentes, além dos presidentes e representantes das centrais sindicais organizadoras do ato, estiveram o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o candidato à presidência da República pelo PSOL, Guilherme Boulos e a presidenta do PT Nacional, Gleisi Hoffmann.

Para o presidente da CUT Vagner Freitas o “único jeito de barrar a reforma da Previdência de Bolsonaro é nas ruas. É com greve geral”. 

 

Alagoas

Cerca de cinco mil pessoas protestaram na capital Maceió, contra a reforma da Previdência e pelos direitos da classe trabalhadora, com apoio de movimentos sociais e sindicais. A manifestação foi no bairro Ponta Verde.

Bahia - Salvador 

O povo baiano saiu às ruas para participar do Ato Unificado da Classe Trabalhadora, às duas da tarde no Farol da Barra, em Salvador,  ao som de muita música. Estão previstas 14 horas de programação com a Banda Tambores de Búzios, Catadinho do Samba, Pisa Macio, seguido de ato político e se encerrando com Filomena Bagaceira.

O ato neste 1º de maio, é promovido pelo CUT/BA, demais centrais e movimentos sociais para demonstrar que o povo diz não à reforma da Previdência.

Bahia -Interior

Em Feira de Santana, o ato reuniu em comemoração ao Dia do Trabalhador e contra a reforma da Previdência reuniu a sociedade civil, militantes e movimentos sociais.

Também houve manifestação contra a reforma da Previdência e eme comemroação ao Dia do Trabalho, em Lauro de Freitas, no interior do estado.

Ceará 

Na capital, Fortaleza, o ato unificado das centrais sindicais começou às 15h, na Praia de  Iracema. A concentração foi na Avenida Beira Mar, próximo ao espigão da Rui Barbosa.

 

Ceará - Interior

A cidade de Crato, no Cariri cearense deu no ato dos trabalhadores e das trabalhadoras pelo 1º de Maio e contra a reforma da Previdência no estado. A concentração foi em à agência do INSS. Em seguida caminharam até a  Câmara Municipal e terminaram em frente ao prédio da prefeitura da cidade.

Já no município de Jaguaribara, a manifestação teve início às 8h da manhã em frente à sede do Sindicato dos Servidores Municipais.

 

Em Várzea Grande, trabalhadoras e trabalhadores rurais fecharam a BR 230 em protesto contra a reforma da Previdência.

Joathan MagalhãesJoathan Magalhães

Em Ubajara, os trabalhadores rurais e servidores municipais lotaram o auditório municipal para dizer não à reforma da Previdência e nem um direito a menos.

Goiás

Em Goiânia, os manifestantes com apoio das centrais sindicais se reuniram na Praça Cívica por volta das 14h . Em seguida, saíram em passeata até a Praça Universitária, onde foi realizado um ato político, seguido de atividades culturais.

Os manifestantes enviaram uma mensagem clara,  de que os trabalhadores e as trabalhadoras não aceitam a reforma da Previdência, que só interessa aos banqueiros.

ATENÇÃO -  Mato Grosso do Sul - Fortes chuvas adiam data do Ato 

O Ato Unificado do Dia Internacional dos Trabalhadores, marcado inicialmente para acontecer nesta manhã (1°), no bairro das Moreninhas em Campo Grande, foi adiado devido à forte chuva na região.

Uma nova data para as atividades que seriam oferecidas no evento, será marcada após reunião das entidades organizadoras.

Minas Gerais

Em Contagem, região metropolitana da capital, trabalhadores sairam em passeata pelas ruas da cidade contra a reforma da Previdência, proposta por Jair Bolsonaro.

Mídia NinjaMídia Ninja

Paraná

Em Curitiba, capital do estado, os trabalhadores e as trabalhadoras participaram do 1º de maio tendo como pauta principal a luta em defesa da aposentadoria e contra a reforma da Previdência. O dia foi marcado por uma missa seguida de caminhada.

Gibran MendesGibran Mendes

Paraíba

Na capital, João Pessoa, o ato promovido pelas centrais sindicais e pelos movimentos sociais Frente Brasil Popular e Frente Povo Sem Medo, começou às 14h em frente ao Centro de Zoonoses. De lá, os participantes, em protesto contra a Reforma da Previdência, caminharam com cartazes e faixas até o Mercado Público de Mangabeira.

O ato político teve atrações culturais como a banda Pau de Dar em Doido, os Menestréis MCs, João Neto e Forró Ripa na Xulipa, o grupos de teatro MilkShakespeare e o grupo de Capoeira Brasil.

 

Na cidade de Campina Grande, os trabalhadores também saíram às ruas. O ato na  Praça da Bandeira denunciou o desmonte da Previdência proposta por Jair Bolsonaro.

Brasil de FatoBrasil de Fato

Pernambuco

As sete centrais sindicais e as frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo estiveram presentes neste 1º de Maio unificado, na Praça do Derby, em Recife, com cartazes, faixas, banners e um trio elétrico. Na pauta dos sindicalistas a luta contra a reforma da previdência e suas graves consequências para a classe trabalhadora.

Piauí

Em Teresina, o ato contra a reforma da Previdência teve o apoio de representantes do Movimento dos Trabalhadores da Alemanha e Ação Católica Operária que declararam que a luta deles é igual a luta dos brasileiros e contra a injustiça no mundo. O ato foi realizado pela manhã, na Praça da Integração.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, a manifestação teve início às 9h Uma imensa faixa com foto do ex-presidente Lula foi estendida, pela Frente Única dos Petroleiros (FUP)  nos Arcos da Lapa.

Já na Praça Mauá, foram montadas barracas para a coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a reforma da Previdência, além de outras atividades organizadas pelos sindicatos e movimentos populares.

Rio Grande do Sul

Na capital, Porto Alegre, manifestantes iniciaram uma caminhada pelas ruas da cidade contra a reforma da Previdência.

Santa Catarina

Para marcar o Dia do Trabalhador em Florianópolis, capital do estado, os sindicalistas começaram o ato no Parque do Maciço do Morro da Cruz. A programação contou com música, uma peça de teatro sobre a Reforma da Previdência, além de um culto ecumênico. Para encerrar, os participantes fizeram uma caminhada na comunidade do Mont Serrat entregando materiais e conversando com os moradores sobre os ataques à aposentadoria que Bolsonaro quer aprovar.

Em Blumenau (SC) também teve ato contra a reforma da Previdência que praticamente imede os trabalahdores de se aposentarem.

 

Os sindicatos Cutistas de Joinville e região participaram nesta manhã da Romaria do Trabalhador e da Trabalhadora, no Santuário Senhor Bom Jesus de Araquari. No evento foi montada uma tenda da previdência explicar sobre os ataques à aposentadoria e coletar assinaturas contra reforma.

São Paulo – litoral

Em Santos, o ato contra a Reforma da Previdência foi antecipado e ocorreu na noite de terça-feira, 30 de abril. Cerca de 150 pessoas percorrem a orla da praia, no bairro do Gonzaga em direção à  Praça da Independência até a faixa da areia, onde fizeram o velório e enterro simbólico da aposentadoria.

Eduardo CaetanoEduardo Caetano

O ato foi organizado pelo Sindicato dos Químicos e Fórum em Defesa das Aposentadorias, entre outros movimentos.

 

 

São Paulo -interior

Em Bauru, a caminhada foi contra a reforma da Previdência e por Lula Livre

 

Sergipe

A população de Aracaju, representantes das centrais sindicais, frentes, movimento sociais do campo e da cidade caminharam no 1° de maio unificado percorrendo o conjunto Augusto Franco e  os bairros Farolândia e Atalaia até os Arcos da Orla

No local foi realizado um ato político e cultural com coleta de assinaturas do abaixo-assinado contra a reforma da Previdência.