• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Artigo

Os retrocessos de três anos do golpe

Publicado: 29 Abril, 2019 - 00h00 | Última modificação: 29 Abril, 2019 - 17h36

Há 3 anos um golpe tirou da presidência Dilma Rousseff, presidenta legitimamente eleita, com mais de 54 milhões de votos, para o segundo mandato. Teve aprovação recorde no seu primeiro governo - mais de 70% da população.

O golpe que culminou no impeachment foi, sem dúvida, o capítulo mais vergonhoso da nossa história. Foi um golpe parlamentar, uma fraude jurídica, com o apoio da mídia e do Capital, para apagar todas as conquistas promovidas nos governos do PT. 

E o Brasil desceu ladeira abaixo... Ao contrário do que os golpistas pregaram e ainda pregam para ludibriar os desinformados ou mal informados, ou alienados midiáticos, não foram os governos do PT, de Lula e Dilma, que quebraram o Brasil. Quem quebrou o Brasil foram os golpistas e o então juiz de Curitiba, ignorante, mas muito bem treinado nos EUA para, através da Lava Jato, quebrar a soberania nacional e entregar o nosso pré-sal aos americanos.  

A Petrobras era a líder mundial na exploração de petróleo em águas ultraprofundas. Daí os vários alertas de especialistas sobre o interesse e a espionagem daquele país em nossa tecnologia e reservas. O nosso petróleo – “ouro negro”, pivor do golpe cobiçado pelos americanos, mas que nesse caso, tiveram o apoio das elites capitalistas deste país, acostumadas a lucrar com o rentismo que beira uma agiotagem legalizada. Essas mesmas elites, em conluio com a mídia e justiça foram os protagonistas do golpe, que afunda o Brasil no mais absoluto abismo. 

Evidentemente que não era apenas tirar a Presidenta Dilma Rousseff da Presidência, um projeto muito mais ousado e perverso estava a nossa espera, mas não foi percebido pelos brasileiros. Como fomos ingênuos! Creio que em parte porque, nesse processo todo fomos honestos demais, não acreditávamos que os golpistas fossem tão longe. Fomos covardes demais, não lutamos o suficiente contra o impeachement da nossa Presidenta. Se tivéssemos, na época, a unidade da esquerda em nossa luta, talvez a história fosse outra. 

O Brasil de hoje dói, patina na lama e no lodo do golpe, e, evidentemente, não dariam um golpe e permitiriam que Lula fosse candidato. A forma de impedi-lo foi o cárcere, a prisão sem provas. Uma acusação, a do triplex, tão frágil que nos envergonha diante do mundo. Todos observam estarrecidos as fragilidades das acusações e gritam por justiça e Lula Livre. 

Enquanto isso o Brasil é tomado pela extrema direita, pelos extremos do ódio, da ignorância, do desrespeito, da tirania e das ditaduras explícitas típicas do estado de exceção.  Afundamos no abismo, na perda de direitos e soberania, na falta de esperança e perspectivas. Parece, às vezes, que vivemos um pesadelo catastrófico, tamanho o abismo em que fomos enfiados. 

O desmonte se dá através do congelamento dos investimentos na Saúde, Educação, Assistência Social e Infraestrutura por 20 anos. Em seguida vem a Reforma Trabalhista e, com ela, o enfraquecimento absoluto dos Sindicatos, Justiça do Trabalho e trabalhadores. Aprofunda-se muito com a extinção do Ministério do Trabalho e Emprego e de outros ministérios tão importantes quanto este. O objetivo do golpe ainda está para ser concluído – se dará com a Reforma da Previdência em curso, com o fatiamento da Petrobras, a entrega da base de Alcântara aos americanos, as nossas reservas de água – o Aquífero Guarani, as terras indígenas, e tantos outros decretos que deixam o Brasil completamente nu e os brasileiros desvalidos. 

O Brasil se transformou num país sem alegria, num país pobre, aonde uma legião de desempregados e miseráveis perambulam pra lá e pra cá. Isto jamais aconteceu nos governos do PT. Mesmo no patamar da crise internacional, o índice de desemprego era o menor da história, em torno de 5%. O Brasil foi um dos primeiros países que conseguiu sair da crise e, em 2010, a sua economia cresceu 7,5%, conforme destaque da revista britânica "The Economist".

Com o golpe, a democracia foi atingida fatalmente e agoniza. A Constituição foi rasgada diversas vezes. A Justiça... essa não existe, está sitiada e a reboque dos interesses daqueles a quem  serviu – o Capital. Essa nossa justiça está manchada e com as mãos sujas de sangue. 

Três anos de retrocessos, de desgraças e perdas para todos os trabalhadores e até para quem, do andar de cima que apoiou o golpe. Aqueles que agora fingem-se de mortos ou arrependidos, sabem muito bem, que tem responsabilidade no processo de desmonte do nosso país. 

Dilma e Lula têm o apoio e a solidariedade de milhares e milhares de brasileiros. Já quanto aos golpistas, ladrões de direitos, a história será impiedosa com eles e suas gerações. Não desistiremos do Brasil, muito menos de quem não desistiu de lutar. Dilma e Lula são exemplos para nós e lideranças respeitadas em todo o mundo. Vamos à luta sempre, com muita determinação e generosidade pelo Brasil, pelo povo brasileiro, para o resgate dos nossos direitos, soberania e pela tão necessária Democracia.

Nós estamos do lado certo, é importante entender isso, por maior que seja a dor e o sofrimento que ela tem causado, estamos como está o nosso presidente Lula: de cabeça erguida e na luta, lutamos por um Brasil que posso sorrir de novo, por liberdade e sobretudo por JUSTIÇA.