• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

Protesto em frente ao TRE de São Paulo defende eleições com Lula

Movimentos sociais na capital paulista fazem coro com as mobilizações em Brasília em apoio à candidatura do ex-presidente

Publicado: 16 Agosto, 2018 - 09h32 | Última modificação: 16 Agosto, 2018 - 09h38

Escrito por: Vanessa Ramos/CUT-SP

Roberto Parizotti
notice

Em frente ao Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP), partidos políticos e movimentos sociais ligados à Frente Brasil Popular realizaram ato em defesa da liberdade e a favor da candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quarta-feira (15).

Lula está como preso político desde o dia 7 de abril, na Superintendência da Polícia Federal do Paraná, em Curitiba. O protesto na capital se soma às mobilizações realizadas por movimentos populares em Brasília.

Hoje o nome do ex-presidente foi registrado como um dos concorrentes à Presidência da República nas eleições de outubro. O PT oficializou a candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Roberto ParizottiRoberto Parizotti
Movimentos deixam mensagem ao ari livre, em frente ao TRE de São Paulo

 

A data representa um marco na luta pela democracia no Brasil, afirma o coordenador  do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em São Paulo, Matheus Gringo.

“O golpe e as perseguições política, judicial e midiática contra a candidatura de Lula tem mostrado o que está em jogo no Brasil, que é o projeto representado pelo ex-presidente, de retomada do crescimento com distribuição de renda e geração de empregos, de soberania nacional e da volta das políticas sociais que foram fundamentais para a superação da miséria”, diz.

Somada à avaliação de Gringo, a coordenadora do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Liciane Andrioli, destaca a aprovação da reforma trabalhista, que permitiu uma série de modificações na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), como uma das medidas mais perversas do governo ilegítimo de Michel Temer (MDB).

“É um ataque atrás do outro. O projeto neoliberal dos golpistas não apenas congelou investimentos na saúde e na educação como elevou o custo de vida da população, do preço do gás de cozinha, do combustível e da energia elétrica”, exemplifica.

A presença de personalidades nacionais e internacionais nos atos em apoio ao ex-presidente, a exemplo do prêmio Nobel da Paz de 1980, Adolfo Pérez Esquivel, demonstra a importância de Lula, ressalta o secretário-geral da CUT-SP, João Cayres. "Ele simboliza o projeto que deu certo e que aponta para possibilidade real de resgatar a democracia."

Assim como Cayres, Sônia Coelho, da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), acredita que Lula representa a unidade à esquerda. “Precisamos de um projeto que rompa com o conservadorismo e os retrocessos que estamos vivendo, que garanta a igualdade entre homens e mulheres, que combata o racismo, os preconceitos, a violência e a pobreza”, defende.

Na boca do povo

A diarista Mônica Fátima Ziliani relata com alegria a conquista de sua casa que será entregue em dezembro, no empreendimento Barra do Jacaré, na zona oeste de São Paulo. “Tenho 55 anos e, desde os 27 eu luto por moradia. Foi apenas a partir do governo Lula com o Minha Casa, Minha Vida – Entidades que eu consegui alcançar meu sonho de ter uma moradia e meus filhos tiveram acesso ao ensino superior”.

Outros relatos como o de Mônica já foram testemunhados por José de Abraão, coordenador da União Nacional de Moradia Popular (UNMP). "O governo Lula representou de fato um avanço nos direitos sociais. Mas tudo o que conquistamos tem sido perdido com o golpe de Michel Temer (MDB) e sua cúpula. É por isso que defendemos Lula novamente como presidente do Brasil.".

Para o pastor evangélico, Ricardo Mendes, o ex-presidente representa a esperança. “Ouço sempre relatos de pessoas na igreja que tiveram acesso à educação, à moradia e que conquistaram outros direitos. Lula significou outras perspectivas à juventude nas periferias que não o caminho da criminalidade ou do cemitério. É minha missão como cristão ajudar a libertar o povo da opressão e por isso me posiciono a favor de sua candidatura”, disse o pastor, que também é representante e defensor do movimento LGBTQI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Transgêneros, Queers e Intersexuais) em São Paulo.

Roberto ParizottiRoberto Parizotti
Pastor envangélico, Ricardo Mendes defende a candidatura de Lula

 

carregando
carregando