• TVT
  • RBA
  • Rádio CUT
MENU

CUT Alagoas inicia Congresso ligada nos rumos do Brasil

“Só organizados conseguiremos mudar o rumo deste país”, afirma vice-presidenta da CUT

Publicado: 06 Julho, 2017 - 19h19 | Última modificação: 06 Julho, 2017 - 19h33

Escrito por: Érica Aragão

Genivaldo Henrique
notice

Começou nesta quinta (06) a “15º Plenária – Congresso Extraordinário e Exclusivo da CUT Alagoas”, na sede do centro social da FETAG (Federação dos Trabalhadores na Agricultura), com o objetivo de atualizar o plano de lutas da maior central sindical do país para o próximo período e eleger delegados e delegadas para a 15º Plenária - Congresso Extraordinário e Exclusivo da CUT Nacional, que vai acontecer no segundo semestre de agosto deste ano.

Com a presença de diretores da CUT Nacional, sindicatos e federações, a Plenária-Congresso, até a próxima sexta (07), discutirá como resistir e lutar nesta conjuntura de retirada de direitos imposta por um governo ilegítimo e aliados comprometidos com o empresariado e com o mercado financeiro.

Para a vice-presidenta da CUT Nacional, Carmen Foro, a decisão de transformar uma plenária em Congresso Extraordinário foi assertiva e ideal.

“É preciso compreender o que está acontecendo no nosso país. Ou entendemos o momento que estamos vivendo ou vamos ter estratégias equivocadas. É importante ouvir o chão de fábrica, o campo, os movimentos sociais e todos os atores que podem agregar a luta. Só organizados e em unidade conseguiremos mudar o rumo deste país”, explicou.

A Reforma Trabalhista que está em trâmite no Senado Federal vem fazer totalmente o inverso. A ideia da proposta, além das perdas de direitos conquistados com muita luta, como o 13º, férias e descanso semanal remunerado, muda e desorganiza todo o sistema de relações de trabalho no nosso país.

A presidenta da CUT Alagoas, Rilda Maria Alves, afirma que a reforma tem o intuito de precarizar o trabalho e desorganizar o movimento sindical, mas é necessário resistir todos os dias por um bem muito maior.

“A gente precisa fortalecer nossas entidades e termos a responsabilidade de se manter na luta e ir para o enfrentamento. A CUT é muito feliz não pra fazer luta sozinho. Nas nossas ações a gente tem feito juntos e juntas com foco em defender os direitos da classe trabalhadora”, finalizou.  

 

Programação do Congresso de Alagoas