14 de Novembro: Dia Internacional do Vendedor(a) Ambulante

14/11/2012 - 19:30

StreetNet entregar√° carta aos prefeitos eleitos de 11 cidades sede da Copa pedindo trabalho decente para os ambulantes

 

 

Um gol para o Brasil!: A StreetNet Internacional, no dia internacional dos vendedores e vendedoras ambulantes, pede aos prefeitos eleitos das cidades sede da Copa do Mundo de 2014 que marquem um gol para o Brasil e criem oportunidades de trabalho decente aos vendedores(as) ambulantes.

 

Cartaz da campanhaPor trabalho decente para os vendedores ambulantesCartaz da campanhaO dia 14 de novembro é o Dia Internacional dos Vendedores e Vendedoras ambulantes. Diversas organizações representativas da categoría irão celebrar no mundo todo a contribuição dos vendedores(as) de rua para o desenvolvimento nacional e dar visibilidade para seus problemas em comum. Aproveitando este marco, a StreetNet  escreveu para os prefeitos eleitos de 11 cidades sede da Copa, pedindo que marquem um gol para o Brasil criando oportunidades de trabalho decente aos vendedores(as) ambulantes antes, durante e depois da Copa do Mundo de 2014.

 

Infelizmente a importância dos vendedores(as) ainda não foi percebida positivamente pela sociedade como parte fundamental da economia da cidade. “Existem razões pelas quais os vendedores devem ser bem vistos como parte do sistema mercadológico. É simples. Eles criam seus próprios empregos; reduziram a pobreza por meio de seus próprios empregos. Eles oferecem um serviço importante de distribuição para os cidadãos, contribuem para o crescimento econômico; Eles fazem parte da nossa cultura e tradição", destaca Ela Bhatt, fundadora da Associação de Mulheres Autônomas (SEWA - Self Employed Women Association).

 

Esta é uma oportunidade única para que os prefeitos eleitos reconsiderem as políticas urbanas que vêm sendo aplicadas. Ao invés de tratar os vendedores(as) ambulantes como criminosos, é possível incluí-los nas oportunidades comerciais que a Copa do Mundo oferece e proporcionar soluções duradouras a longo prazo para melhorar seus meios de subsistência”, defende Nora Wintour, coordenadora da camapnha da StreetNet Cidades para Todos e Todas.

 

As propostas da carta são as seguintes:

 

(1)         que o poder público municipal entre em diálogo com as organizações representativas de ambulantes, seja através de fóruns de interlocução já existentes nas cidades-sedes  ou pela criação de novos espaços de negociação, estabelecendo de fato o diálogo com os(as) vendedores(as) informais das cidades sede;

 

(2)         que nos espaços reservados aos patrocinadores oficiais da FIFA, em torno dos estádios e das zonas oficiais de torcedores, 50% das barracas sejam reservadas à vendedores(as) ambulantes locais, que vendam comidas e bebidas típicas e artesanato característico da região. Estas barracas devem alocar os(as) vendedores(as) ambulantes através de um processo participativo a partir dos fóruns de negociação e à preços acessíveis e subsidiados, independente de possuírem ou não licenças válidas,dando prioridade à cooperativas ou à outras iniciativas da economia social, geridas por vendedores(as) que de outra forma perderiam seus espaços de venda;

 

(3)         que alternativas apropriadas ao comércio informal sejam desenvolvidas em cada município de maneira consultiva; esses locais de comercialização devem ser concebidos como soluções de longo prazo, de forma que tais espaços sejam operacionalizados durante e depois da Copa do Mundo, durantes jogos de campeonatos nacionais ou eventos dentro e no entorno dos estádios; dessa forma haveria um legado social da Copa do Mundo também aos vendedores (as) ambulantes.

 

A carta conclui:

 

“Nós acreditamos que como prefeito eleito, o senhor tem uma oportunidade única de trazer a atenção do mundo a sua cidade. Através do desenvolvimento de políticas de inclusão social, respeito aos direitos humanos e ao trabalho decente, o senhor pode oferecer um exemplo ao mundo de que a Copa do Mundo pode deixar um legado sustentável, e assim traçar o caminho para que outros sigam.

 

Nós urgentemente pedimos ao senhor que apoie essas posições e que se comprometa a trabalhar com os vendedores(as) ambulantes para alcançar esses objetivos – objetivos que vão além do futebol e que podem se tornar parte do orgulho  histórico do Brasil.”

 

CLIQUE AQUI PARA LER A CARTA AOS PREFEITOS

 

Para mais informação entre em contato com:

Maira Vannuchi, StreetNet, Campanha Cidades para Todos e Todas, Rio de Janeiro:

mairavannuchi@gmail.com

Tel:+55 21 84668586

 

Nora Wintour, StreetNet WCCA Coordenadora de Campanhas, StreetNet Internacional, Durban

norawintour@live.co.uk

Sharon Pillay, Encarregada de Comunicação, StreetNet Internacional, Durban

streetnetmedia@kryptonet.co.za